• Casa das Muralhas

Arte Urbana na Covilhã


Mural de arte urbana de andorinhas estilizadas em tons de azul e castanho pelo artista Pantónio na lateral de um edifício alto e esguio na Rua Comendador Campos Melo no centro da Covilhã com vista ao longe dos arredores da cidade e céu azul
Pantónio - Wool Festival 2015 | Foto: Wool

Visitar a Covilhã sem reparar na Arte Urbana é quase impossível nos dias que correm, mas qual a história por detrás deste movimento artístico que “invadiu” a cidade?


Ao caminhar pelo centro histórico da Covilhã rapidamente se fica com a sensação de que ao virar de cada esquina há uma intervenção artística para descobrir. As obras, de pequena e grande dimensão, estão de tal forma integradas na malha urbana da cidade que é fácil esquecer o passado recente, onde as cores cinzentas e paredes degradadas predominavam.

Mural de arte urbana da artista Tamara Alves que retrata uma mulher com 3 braços a tecer o seu prórpio fio, alusiva aos lanifícios da cidade da Covilhã, numa parede junto ao Miradouro das Portas do Sol com 4 pessoas a conviver no miradouro
Tamara Alves - Wool Festival 2014 | Foto: Catarina Diniz

As cores vivas que marcam o Centro Histórico da Covilhã são em grande parte responsabilidade de dois irmãos covilhanenses, Lara e Pedro Seixo Rodrigues, que durante umas férias ao sul de Espanha se apaixonaram pelos grafittis que por lá encontraram.

Mais tarde, com o crescimento do movimento da Arte Urbana em Portugal e influenciados por festivais internacionais como o FAME FESTIVAL ou o NUART, decidiram adaptar o conceito à sua cidade natal.


Foi assim que em 2011 nasceu o WOOL, o mais antigo festival de arte urbana de Portugal! Surgiu com o objetivo de requalificar a zona histórica da cidade, mas cresceu muito para além disso, contando com intervenções em diversos locais.

Mural de arte urbana na lateral de um prédio no centro histórico da Covilhã com corpos entrelaçados retratados em negativo, sendo apenas possível ver a pintura final invertendo as cores da fotografia parte do festival de arte urbana WOOL
Bosoletti - Wool Festival 2017 | Foto: Wool

Do jogo de sons entre Wool (Lã) e Wall (Parede), surgiu a escolha do nome em inglês de forma a facilitar a internacionalização do festival. Ainda que o nome seja numa língua estrangeira, existe o compromisso de que todas as obras representam temas ligados à região, à cidade e à história da outrora “Manchester de Portugal”.


O festival anual, que se tornou já imagem de marca para a cidade, conta com mais de 40 intervenções de artistas de várias nacionalidades, onde se encontram nomes tão consagrados como Vhils, Bordalo II, Halfstudio, Bosoletti, Kruella D’Enfer, +MaisMenos+, Samina, Pantónio entre outros.

Mural de arte urbana Halfstudio em tons de azul e rosa com a frase cidade flor em ti mora o meu amor festival arte urbana covilhã wool
Halfstudio - Wool Festival 2017 | Foto: Wool

Aos poucos, o degradado centro histórico ganhou outra vida. As ruas desertas encheram-se de pessoas seguindo a rota da Arte Urbana em busca de mais uma obra para ver e fotografar. Passados quase 10 anos do primeiro mural, é seguro afirmar que o objetivo de Pedro e Lara Seixo Rodrigues foi cumprido! O WOOL é hoje uma das maiores atrações da Covilhã, projetando a cidade no panorama internacional, fazendo notícia mundo fora, impulsionando o turismo e a requalificação urbana do centro histórico.


O impacto do WOOL é de tal forma que ultrapassa “as suas fronteiras”, inspirando outras intervenções independentes, como é exemplo o mural de apoio à seleção nacional de futebol criado por AkaCorleone para a Federação Portuguesa de Futebol, ou os vários murais da empresa Casas Covilhã e outras pequenas intervenções.

Vista aéra de mural de arte urbana fachadas de igrejas e edifícios da covilhã com 2 estudantes trajados a olhar para eles
Daniela Guerreiro - Casas Covilhã e AAUBI | Foto: Cláudio Gonçalves

Melhor mesmo, é ver para querer. Visite a Covilhã, venha descobrir uma cidade com mais de 800 anos de história, que é, entre muitas outras coisas, um museu de Arte Urbana a céu aberto!